Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Iniciante’ Category

A noticia é velha (abril/2010), mas vale a pena!

“O Livro Ubuntu – Guia do Iniciante está disponível para download gratuíto em sua primeira edição e conta com oito capítulos, que tratam desde conceitos básicos para o uso do sistema, como por exemplo, como criar pastas (ideal para quem nunca usou um computador) e como instalar pacotes de codecs multimídia para reprodução de videos, músicas e DVDs, até conceitos básicos de virtualização de Desktops.”

De fato, é louvável a atitude do autor Carlos “Kadu” Eduardo, com o apoio da revista Espírito Livre, do prof. João Fernando Costa Júnior, além de dicas imperdíveis de André Gondim, responsável pelo time de tradução do Ubuntu no Brasil e do apoio do prof. Cesar de Souza. O grande diferencial é a sua sua linguagem acessível a nós pobres mortais. Enfim, é um livro de cabeceira para quem gosta ou precisa trabalhar com o linux em sala de aula.

Apoiaram esta iniciativa também o blog Ubuntu Dicas (www.ubuntudicas.com.br), CAVVES (cavves.wordpress.com) e Meu Pinguim (www.meupinguim.com).

O download do livro pode ser feito ubuntu_guia_do_iniciante

Fico pensando quando vou ter coragem e força de vontade para escrever o meu, quer dizer, o nosso exclusivamente sobre software livre na educação.
Quem sabe, filhos e arvores, ja plantei…rsrsr Falta apenas o livro.

Read Full Post »

Adaptado de http://www.icmc.usp.br/manuals/BigDummy/netiqueta.html

Contribuição de Sinara Duarte

As novas formas de comunicação trouxeram novas formas de interação e com elas a necessidade de regras de etiqueta ao meio digital:

1. Não GRITE, fale!

Combine letras maiúsculas e minúsculas, da mesma forma que na escrita comum. Cartas em papel não são escritas somente com letras maiúsculas; na Internet, escrever em maiúsculas é o mesmo que gritar!

NUNCA ESCREVA ASSIM! Use maiusculas, apenas o necessário (titulo, destaque). Para enfatizar frases e palavras, use os recursos de _sublinhar_ (colocando palavras ou frases entre sublinhados) e *grifar* (palavras ou frases entre asteriscos). Frases em maiúsculas são aceitáveis somente em títulos e ênfases ou avisos urgentes.

2. Utilize os emoticons com moderação

Os emoticons (ou smileys) são ícones formados por parênteses, pontos, vírgulas e outros símbolos do teclado. Eles representam carinhas desenhadas na horizontal, e denotam emoções. É difícil descobrir quando uma pessoa está falando alguma coisa em tom de brincadeira, se está realmente bravo ou feliz, ou se está sendo irônico, em um ambiente no qual só há texto; por isso, entram em cena os smileys. Comece a usá-los aos poucos e, com o passar do tempo, estarão integrados naturalmente a suas conversas on-line. Todavia, cuidado para que sua conversa não se torne imcompreensível, nem todo mundo compreende o internetês.

Ex: 😦 (triste), kkkk (gargalhada), 😮 (surpreso), xP XP (deboche), =* (beijo)  😉  ;] (piscando), etc

Mais dicas de emoticons encontram-se em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Emoticon

3.O envio de mensagens

Seja claro, breve e objetivo A maioria das pessoas na Internet vai conhecê-lo(a) somente através do que e de como você escrever. Portanto, evite erros gramaticais e certifique-se de que o conteúdo é de fácil leitura e compreensão para o seu público alvo. Nunca use dez palavras para expressar o que pode ser dito em cinco. Lembre-se de que quanto maior for sua mensagem menos pessoas a lerão. Quando fizer menção a uma outra mensagem faça um breve resumo para reavivar na memória do leitor a mensagem original. Para tanto, inclua na sua mensagem as partes essenciais da mensagem reverenciada. Não é preciso incluir a mensagem toda! Ao enviar mensagens para listas ou news esteja certo de que você leu toda a discussão antes de responder, pois pode ser que alguém já tenha dito o que você pretende dizer. Não repita informações!

4.Qual é o assunto?

Quando for escrever um email, o Assunto ou Subject deve estar sempre preenchida com o assunto tratado em sua mensagem de e-mail. Imagine uma pessoa que abre sua caixa de e-mail (mailbox), e encontra todo dia uma média de 60 mensagens. Quais ela lerá primeiro? Certamente, aquelas cujo assunto seja de maior interesse (as outras serão lidas mais tarde, ou apagadas!). A linha de assunto deve ser relacionada ao assunto tratado na mensagem. Quando for inevitável uma mensagem mais longa, avise na linha de assunto. Por exemplo:

Subject: Avaliação de História (msg longa!)

Evite utilizar os termos urgente sem necessidade, ou se utiliza listas de discussão, envie somente mensagens relacionadas ao tema da lista, propagandas e afins devem ter no assunto o termo off-topic (fora do tópico). Lembre-se de respeitar as regras do grupo que participa. Qualquer duvida, procure o moderador diretamente (em particular).

5.Assinatura no email

É possível criar o que se chama “assinatura” para suas mensagens de correio eletrônico. As assinaturas são arquivos pequenos, contendo alguma informação sobre você: nome , empresa, cargo, referências de trabalhos on-line, frases. Não exagere! Essa assinatura deve se restringir a no máximo 4 (quatro) linhas. Obs: Evite colocar dados pessoais, como telefone e endereço, pois pode cair em mãos erradas.

6. Em grupos e listas de discussão

Nas deliberações de algumas assembléias, as manifestações acontecem apenas quando se tem alguma coisa a acrescentar, ou algum ponto em desacordo com o que está em votação. Assim é nas listas e newsgroups: não envie mensagens que dizem apenas “Envie esse programa pra mim também!”, “Estou de acordo!”, “Muito bem!”. Participe somente quando tiver alguma contribuição para o desenvolvimento da conversa. Conforme o caso, um e-mail pessoal (em PVT) é mais apropriado.

Cite sempre a mensagem respondida, indicando “quem” disse “o quê”. Dezenas de mensagens podem ter chegado entre a mensagem original e sua resposta e, em alguns casos, sua resposta pode chegar antes da pergunta.

Ao responder mensagens respondidas, as citações ficam com camadas de “>>” em cada linha. Se sua resposta já está incluindo uma terceira ou quarta camada de “>>“, temos uma cascata: é hora de cortar as citações, ou pelo menos apagar alguns “>” que estejam a mais.

Preste atenção para usar sempre o comando de resposta (reply) quando for responder a uma mensagem, e o comando de encaminhamento (forward) quando estiver somente passando adiante um e-mail. Isso evita confusões e mensagens em cascata.

7. Replicação de mensagens

Não envie a mesma mensagem para diversos newsgroups e listas. Muitas pessoas recebem mensagens por mais de uma lista, e participam de mais de um fórum — conseqüentemente, receberão mais de uma cópia de seu e-mail. Se realmente precisar fazer uma postagem múltipla de uma mesma mensagem, peça desculpas pelo possível recebimento de cópias duplicadas.

8. Spam (evite repassar mensagens)

Fazer spam é enviar mensagens por e-mail para dezenas de pessoas, listas ou newsgroups, não importando o assunto da lista, ou o interesse das pessoas destinatárias das mensagens.

A prática de “spamming” não é um mero fator de aborrecimento para os internautas, pois chega a ser prejudicial: ao espalhar mensagens em diversos pontos de distribuição, muitas pessoas de uma mesma rede podem receber várias cópias, causando a sobrecarga das caixas de e-mail, entre outros transtornos.

Ao receber mensagens com alertas sobre vírus, correntes de qualquer tipo, histórias estranhas, não passe adiante. Comente com amigos que já tenham mais experiência, com o suporte de seu provedor, ou responsáveis pelo equipamento utilizado. Portanto, ao receber noticias do tipo “O 13º acabou” ou urgente: criança desaparecida, investigue se de fato, esta noticia é verdadeira. Um site com coletâneas de lendas da internet é o

http://www.quatrocantos.com/LENDAS/

Outro detalhe, evite enviar aqueles abaixo-assinados pela internet que não tem valor legal, ademais, seus dados pessoais podem parar em novas listas (de abaixo assinados sem sua autorização.)

Se um parente seu desapareceu encaminhe para o site oficial do governo de pessoas desaparecidas, ligadas a Presidência da República no seguinte link:

http://www.desaparecidos.mj.gov.br/Desaparecidos/

9. Respeite os direitos autorais

Cuidado ao enviar artigos, letras de músicas, resenhas de livros ou qualquer outra coisa que seja sujeita a copyright. Evite, dentro do possível, incluir esses tipos de documentos em sua correspondência. Se você está usando argumentos para ajudá-lo em sua teoria, diga de onde eles provêm. Não utilize idéias alheias como sendo suas.

10.Por fim evite brigas e polêmicas

Nunca escreva um e-mail quando estiver irritado ou com raiva. Lembre-se: uma agressão por escrito é muito mais forte e duradoura do que uma agressão verbal.(se usar palavrões e a pessoa se sentir ofendida, cabe processo judicial). Portanto, não utilize as listas de discussão para polêmicas inúteis, pois nada acrescentam, inclusive porque a maioria de usuários inscritos não se interessa por este tipo de discussão e, simplesmente, deleta as mensagens ou cria filtros para mensagens de certos usuários.

Objetivando manter um debate de qualidade e evitar problemas nunca responda mensagens agressivas ou polêmicas. Alerte o moderador da comunidade para que ele tome providências. Você evitará um conflito direto e não tornará o ambiente desagradável.

11. Leia o FAQ!!!(seção de dúvidas).

Muitos newsgroups e listas mantêm arquivos chamados FAQs (Frequently Asked Questions). Se sua lista ou grupo de news não tiver um FAQ (seção de dúvidas), é uma boa idéia organizar um. Nesses arquivos, pode-se encontrar diversas perguntas já respondidas sobre as normas de participação da lista ou news, bem como assuntos relacionados aos tópicos principais de discussão.

Até mais!

Read Full Post »

Mais uma dica de site inteligente, que ajuda aquele professor iniciante, que tem vontade de fazer montagens de fotos, mas acha dificil utilizar determinados programas como o Photoshop ou Gimp (software livre). Tem gente que tem verdadeira paixão por montagem de fotos. Pois como dizem por ai: seus problemas acabaram, pois no site montafoto.com é possível, com poucos cliques, e nem software fazer montagem de fotos, que vão desde montagem de fotos simples, calendários, fotos com balões, enfim, bem prática e também limitado (essa dica é para iniciantes, que estão aprendendo a fazer pequenas montagens. Ele dá várias opções de montagem, além de dicas de como utilizar sua máquina digital. Pode-se salvar a foto montagem no seu computador, enviar por email pessoal ou como scrapt (recado no orkut). Sinceramente, gostei, além de gratuito, nem precisa fazer o cadastro para ter acesso as funcionalidades. Então, o que está esperando, para fazer sua primeira montagem?
http://www.montafoto.com/

Read Full Post »

Pois eh, muita gente ta reclamando que não está conseguindo acessar a plataforma freire – Plano Nacional de Educação (http://freire.mec.gov.br/ssd/index/), pelo linux (firefox). Na verdade é apenas um problema técnico, o certificado de segurança expirou, e o computador interpreta como uma pagina insegura ou suspeita. Ja vi comentarios dizem que é pegadinha ou virus. Não é nada demais, basta aceitar o certificado. Vamos aprender a fazer isso no firefox ?

Se a sua tela aparece a seguinte mensagem (vide figura abaixo), Não se preocupe tem solução.Clique em adicionar exceção.

telaerro1

tela de erro da plafaforma freire

Se aparece essa tela, no seu computador não se assuste, não é nada demais. Apenas clique no azul, confirmar exceção de segurança.telaerro1

Pronto, basta clicar em adicionar exceção (figura acima). Vai aparecer outra tela com uma janela.

telaerro2

Mande exibir o certificado e confirmar a exceção de segurança. Pronto Ja pode acessar a Plataforma Freire com seu CPF e senha que vc ja cadastrou.

telaerro3

Não deixe de conferir o restante do tutorial como se inscrever na plataforma freire, neste post. https://softwarelivrenaeducacao.wordpress.com/2009/07/25/795/

Read Full Post »

Replico  (significa Ctrl C + Ctrl V) o post do Ricardo Martiano: Use e abuse do Big Busca!

Que o Big Linux é um dos sistemas que mais admiro (eu também), não é novidade para ninguém! É um sistema voltado tanto para usuários iniciantes quanto para os mais acostumados com o sistema do pinguim. Dispõe de diversas personalizações e melhorias, tornando-se o sistema Linux brasileiro ativo mais utilizado.
Como vários projetos de Software Livre, o Big Linux é gratuito, tendo um custo zero para seus usuários, a não ser que deseje contribuir com o projeto.



Um maneira simples, prática e útil que seu desenvolvedor, Bruno Gonçalves, encontrou para adquirir fundos para manter o sistema foi a criação do BigBusca. É um site que usa o sistema de busca do Google.

Mas quais as vantagens em usar o BigBusca em relação ao Google?
Recentemente o Bruno proporcionou diversas melhorias ao buscador do Big Linux:

  • Todos os dias uma imagem de fundo diferente é utilizada, deixando o site muito mais bonito.
  • Existe a opção de incluir notícias na página inicial.
  • A cada atualização na página, um novo pensamento/frase
  • Pré-visualização de Imagens
  • Possibilidade de alterar o nome, logotipo e fundo de tela do site, personalizando-o da maneira que achar melhor.

Mas a melhor justificativa para utilização do BigBusca é que ao utilizá-lo, você está ajudando a manter a produção de software livre nacional, incentivando a equipe de desenvolvedores do Big Linux a continuarem com seu belíssimo trabalho.

fonte: http://www.ricardomartiniano.com/

Tem uma reportagem do Big Bruno (desenvolvedor) que ele fala que dependendo da quantidade de acesso, é possivel se dedicar somente ao projeto. Não seria interessante para nós professores! Quer ajudar, basta colocar o Big busca como pagina inicial no LIE. Cada acesso é importante para o projeto…

Read Full Post »

olá amigos, muitos colegas, me mandaram email, perguntando acerca da plataforma freire (plano nacional de formação de professores, como se inscrever, enfim, com duvidas. Por favor, se conhecer, algum colega que não tem graduação ainda, ou tem interesse em possuir uma segunda graduação, (leciona em area diferente da sua formação), compartilhe este tutorial. As incriçõs acabem na sexta-feira (30/07). Vamos melhorar a educação! Todos os cursos sãog gratuitos destinados a professores da rede pública. Para acessar a pagina do MEC clique em Plano de formação de Professores do MEC.

Se não conseguir acessar porque apresentou algum erro (página suspeita), veja este post explicando como resolver este problema aqui: https://softwarelivrenaeducacao.wordpress.com/2009/07/29/plano-nacional-de-formacao-docente-ambiente-com-erro/

Read Full Post »

Olá, com uma semana de atraso (desculpem é o corre-corre), eu posto aqui o lançamento da Revista nº 4 da Espírito Livre, que a cada nova edição cresce em grandeza quantitativa (numeros de paginas) e qualitativa. Como estamos em férias, nada como falar de jogos não. Eis o editorial.

Chegamos nesta quarta edição em meio a muitos eventos, e ultrapassando a barreira das 100 páginas! Como poderão ver, apesar do tema de capa ser sobre jogos, os eventos permearam o mês de junho e a revista não poderia deixá-los de fora! Portanto, alertamos aos leitores que uma overdose de informação os espera.

Baixe já a sua aqui:

Revista Espírito Livre - Ed. #004 - Julho 2009

Revista Espírito Livre - Ed. n #004 - Julho 2009
Revista Espírito Livre - Ed. n #004 - Julho 2009

Com o tema de capa, Jogos e Diversão, a Revista Espírito Livre teve a honra de ter como entrevistados diversos responsáveis por projetos mundialmente conhecidos e já consagrados pela comunidade. Acompanham as entrevistas, matérias que circundam este tema tão discutido, e às vezes até inflamado, afinal, muitos dos leitores que nos estão lendo neste momento ainda utilizam softwares proprietários afim de terem uma plataforma para seus jogos favoritos. Esta edição tenta mostrar que é possível encontrar títulos de qualidade contendo seu código aberto, demonstrando que a qualidade destes aumenta a cada dia, assim como o número de jogos e seus fãs.

As entrevistas desta edição, que são três, revelam um pouco mais sobre John Diamond – criador do Alien Arena, Bernhard Wymann – líder da equipe responsável pelo TORCS e Sami Kyöstilä, criador do Frets on Fire.

A equipe da revista está em constante crescimento tendo desta vez participações de Cristiano Rohli, tratando de um tema que inflama conversas, Cezar Farias estréia uma coluna sobre Inkscape e outras ferramentas gráficas, Gustavo Freitas apresenta o SEM: Search Engine Marketing, Luis Gustavo fala de seu livro sobre Python, entre outros. Por justamente junho ter sido palco de vários eventos de software livre, temos várias matérias e relatos a respeitos destes, como poderão ver. Ari Mendes, Andressa Martins, Alessandro Silva, José Josmadelmo e Vladimir di Fiori, diretamente da Argentina, contribuiram de forma impecável nestes eventos que ocorreram mês passado.

Na parte, educativa temos um artigo falando dos riscos da exposição desenfreada do computador e também algumas dicas de jogos livres para os pequeninos by Sinara Duarte.

Continuamos com nossa seção de emails, com comentários e sugestões enviados para a redação da revista. Participe! Envie também o seu comentário!

A Revista Espírito Livre trás a relação de ganhadores das três promoções da edição anterior. E uma novidade: novas promoções estão a caminho, como poderão perceber, isto se deve à inclusão de parceiros que estarão conosco ao longo das próximas edições. Basta ficar ligado na revista e no site oficial da revista [http://revista.espiritolivre.org] para não perder nenhum detalhe.

Nossos agradecimentos a todos aqueles que tornaram e tornam este trabalho possível, inclusive aos que colaboraram com as traduções das entrevista, Andressa Martins, Aécio Pires, Marcelo Tonieto, Juliana Prado, Relsi Hur Maron, etc.

A Revista Espírito Livre, através da colaboração e apoio desta forte equipe, vem crescendo e mostra mais uma vez que chegou para ficar, que entrou no jogo, afim de disponibilizar conteúdo de qualidade, temas relevantes, matérias com o propósito de acrescentar, feita por e para leitores.

Abraço a todos!

Read Full Post »

Olá amigos, depois de um tempinho descansando. Voltamos a ativa.

Todo mundo sabe quem tem pendrive e similares e compartilha com outros Pcs, pode estar carregado de vírus, principalmente a galera que fã do Windows. Outro detalhe que passa desapercebido é que a muitos vírus gostam de se esconder dentro de uma pasta chamada recycler. Esta pasta não pode ser apagada, pois é utilizada como se fosse uma lixeira, os arquivos deletados, vão para ela. No linux nem tenho anti-virus, porque não precisa. Os virus do windows não atingem o linux, mas como gosto de socorrer os amigos, preparei este mini-tutorial como retirar o virus de dentro do Recycler, usando o linux.

Não precisa de anti-virus potente, e nada, apenas boa vontade de ajudar um colega e de quebra, mostrar porque eu uso SOMENTE linux. Bom, você vai abrir seu pen-drive ou Mp3/Mp4 normalmente para exibir os arquivos. Entre na pasta recycler e observe que dentro dela tem outra pasta (geralmente com nome bem esquisito, tipo somente números) que óbvio não foi você que criou. Também vai observar que não vai conseguir selecionar o “danadinho” somente com o delete, como fazemos com os outros vírus. E agora, quem poderá me defender?

Neste exemplo, o virus é terminado na extensão vmx, mas poderia, ser exe (o mais comum), BIN ou INF.

Pasta recycler com tela em propriedadesTipo de virus

Volte na pasta (aquela com nome esquisito), e clique no botão direito do mouse nela e depois em propriedades (FIGURA ACIMA). Vai aparecer uma janela, com o nome da pasta, clique na aba PERMISSÕES, como mostra a figura. Vai logo notar, que nas permissões de acesso, tem assim: pode ver o conteudo (ou seja, vc pode apenas ver, mas não alterar, ou seja, não pode deletar). Então clique nesta mesma aba, em permissões avançadas. Onde tem GRAVAR ENTRADAS, marque todas as opções, e quando voltar vai observar que as permissões agora permitem VER E ALTERAR O CONTEUDO. Clique em OK, agora, pronto, já pode entrar na pasta onde virus se escondeu e mandar ele para o “inferno” como um simples delete. Não foi fácil? Adoro fazer isso para os amigos e mostrar a superioridade do linux frente ao Windows. Toda semana, me aparece um aqui, me pedindo para tirar virus do pendrive, o recorde foi sete até agora… Qualquer duvida, manda um email… bjs a todos

P.S: Se usasse somente linux, isso não aconteceria. rsrsrsr

Read Full Post »

E o software livre vai às telas! O documentário INproprietário ( 30 minutos) fala sobre as origens do Software Livre é o resultado do trabalho de conclusão do Curso de Comunicação Social do Centro Universitário FIEO, produzido pelo Daniel Bianchi e Johnata Rodrigo. Contém várias entrevistas, de algumas personalidades bem conhecidas do mundo do SL, visando explicar o que é o Software Livre, sua história, no que ele se diferencia do software não-livre como é o software proprietário ou o software grátis, qual a sua filosofia e o porquê de ele já ser um sucesso. O arquivo para download tem aproximadamente 300MB e está sendo distribuído livremente. Assistam, copiem, divulguem e distribuam este pequeno filme, é o que os seus autores pedem. O download pode ser feito via bittorrent.

O video é bastante útil para nossos alunos, apresenta de forma clara, o início do movimento do software livre.

O email para dar os parabéns pela iniciativa e trocar algumas figurinhas é:

Para assistir, baixe o torrent: http://www.mininova.org/tor/2571016

No meu Big linux, já  nativo com o programa qbitorrent (versão livre do bitorrent), é só salvar o link e pedir para o programa fazer o download automaticamente. Facil, não? Agora, se você não sabe o que é um torrent, leia o artigo do Jomar a esse respeito:http://www.artigos.etc.br/afinal-o-que-sao-torrents.html

Read Full Post »

Compreendendo os software existentes no mercado
por Sinara Duarte

Dando continuidade a série de artigos sobre migração, é importante comentar que alguns professores quando no uso das tecnologias, sentem dificuldade devido a presença de alguns termos muito técnicos ou próprios da área. Então resolvi, fazer este pequeno artigo para iniciantes ou aqueles que nunca usaram o software livre, mas tem vontade de utilizar ou estão adentrando no universo da informática.

De fato, a falta de material didático explícito, claro, sem jargões e/ou termos técnicos, a meu ver tem dificultado a disseminação do software livre, principalmente entre os professores e/ou usuarios windows. Assim, hoje vou falar  um pouco de softwares. Pode parecer banal, mas muito gente “grande” não sabe a diferença entre software livre, sofware freeware, shareware, demo e afins.

Software é a parte lógica do computador, é o programa feito por um ou mais desenvolvedores para executar uma ou várias funções. Teoricamente, qualquer pessoa com conhecimento, pode escrever um programa de computador. Ex: Windows, CorelDraw, Gimp, Gcompris. O primeiro é um sistema operacional pertencente a Microsoft, o segundo é um programa de desenho vetorial proprietário da Corel, o terceiro é um software livre também de desenho vetorial, e o terceiro é um software educativo.

O software é considerado proprietário, se pertecente a alguma empresa. Por exemplo, o Windows é um software pertencente a empresa Windows. Geralmente os softwares proprietários apresentam alguma restrição de distribuição. Para isso é preciso autorização do dono. A principal diferença entre o software livre e o software proprietário é o código fonte. Ambos possuem o código fonte, mas no software livre, temos acesso ao código fonte.

O Código fonte, fazendo uma alegoria com a culinária, é como se fosse a receita do bolo. Na cozinha, temos diversas receitas de bolos diferentes, mas a base, na maioria da vezes é a mesma (trigo, ovos, leite). A medida da criatividade do mestre-cuca, este altera e incrementa sua receita, da maneira que desejar, podendo repassar a receita para outros mestres que também adequam a receita a sua realidade local. (Por exemplo, no Ceará, não existem nozes, mas existe castanha de caju). Da mesma forma é o código fonte. Este é o conjunto de instruções para o computador (receita) que formam o programa (bolo), o software é considerado livre se este dipor a receita para todos, ou seja, se o código-fonte for disponível publicamente, sem restrições, para que outras pessoas possam usá-lo, copiá-lo, estudá-lo e modificá-lo.

O software livre, portanto, é o programa de computador que obedece quatro liberdades fundamentais, liberdade para usar, liberdade para copiar (sem cometer crime de pirataria), liberdade de estudar o funcionamento do programa, e se tiver conhecimento, adaptá-lo as suas necessidades e redistribuí-lo para a comunidade, de modo que todos se beneficiem de sua melhoria. Exemplo: Linux Debian, Big Linux, Ubuntu.

A filosofia do software livre encontra suas raizes na livre troca de conhecimentos e pensamento. Existem várias licenças que concedem liberdades aos softwares destacando-se a Licença Pública Geral (GPL), atuamente a licença mais utiliza no “mundo livre”. Essa licença explica que ninguém pode pegar um software livre e transformá-lo num software proprietário, pois respeita as quatro liberdades já mencionadas. Noutros termos, buscar lucratividade em algo que foi origialmente gratuito.

É importante destacar que quando se fala em software livre, muitos pensam que este é sinônimo de gratuito, devido a sua origem etmológica do inglês free pode ser traduzido tanto como gratuito e como livre.. Assim, software livre não significa software gratuito. Muitos são gratuitos, como forma de divulgar o movimento de software livre. Por exemplo, o wordpress é um software de criação de blogs, que é livre, mas não é gratuito. Qualquer pessoa pode criar um blog gratuitamente, mas se desejar algumas outras funcionalidades, precisaria pagar para ter acesso (é opcional). Mas não impede de possuir o blog. Por exemplo, este blog Software Livre na Educação é feito no WordPress.com (gratuito), mas existe o wordpress.org (com mais funcionalidades, por exemplo alterar as fontes que é pago).

O software proprietário ainda pode ser:

Software freeware: é um software gratuito, mas que não é livre (apesar do nome free), pois não disponibiliza o código-fonte e possuem licenças restritivas, proibindo a cópia, a redistribuição não autorizada e a modificação (Lembra das quatro liberdades?). Geralmente estão disponiveis na internet para download e a validade não expira. Exemplo, o jogo de memória da Turma da Mônica é um software freeware.

Software shareware (trial) são programas proprietários com limitações de uso, podendo ser de tempo ou funcionalidades (não ter todas as funções). Também são gratuitos, mas apenas para divulgação, após algum tempo perdem sua validade (não funcionam mais, devendo ser apagado do computador ou comprado do seu fabricante). Num termo mais comum, seria uma “amostra grátis”, uma forma de divulgação do produto, sendo protegido por direitos autorais. Ninguém é obrigado a pagar por seu registro, ao menos, que goste ou queria ficar com este software. Exemplo: Dicionário Inglês-Português UltraLíngua (site baixaxi).

Softwares Demo são softwares para DEMOnstrações, por isso, esse nome demo (não tem nada a ver com o capeta!rsrsr). São softwares para análise, para testar gratuitamente.  O sonho de alguns amigos meus é ser “testador” de jogos. Algumas empresas gastam fortunas desenvolvendo jogos para computador e pagam pessoas para testar e comentar a respeito. Na internet, existem diversos programas que são DEMO, apenas para teste. Também são protegidos por direitos autorais, não são softwares livres, sendo classificados como proprietários, pois pertecem a alguém.Exemplo: Coelho Sabido, no site oficial, tem uma versão gratuita que é DEMO.

Software de dominio público: Domínio público é qualquer obra (software, livro, música, etc) que é considerado bem comum (pertecente a todos). No Brasil de acordo com a Lei 9610/98 uma obra entra em dominio público, após 70 anos, da morte do autor ou quando este não deixa herdeiros. Eu particularmente, não conheço nenhum software que seja de domínio público, mas já existem diversas obras literárias e artísticas de carater pública. Ex: Obra de Machado de Assis (em meio digital e escrito).

E importante, antes de adquirir um software, observar suas funcionalidades e compatibilidades. Alguns softwares requerem equipamentos mais potentes (placa aceleradora, mais memória), por isso é importante saber  o hardware mínimo para instalação) qual o sistema operacional é compatível. Alguns funcionam apenas no Windows 98 e não no windows Vista, outros funcionam apenas no Linux, enfim, não significa apenas baixar no seu computador.

No Brasil, é um dos poucos países que possuem legislação específica para software. É a lei 9.609 de 20/02/1998, que incluem programas de computador no âmbito dos direitos autorais. A fiscalização é feita pela Associação Brasileira de Empresas de Software (ABES).

No próximo artigo sobre migração, falaremos a respeito de licenças e os direitos autorais e pirataria.

Read Full Post »

Older Posts »