Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Leitura obrigatória’ Category

autor Joao Mattar

Ola turma, depois de meses, sem postar, por conta de dois empregos e um mestrado, ja estava na hora ne?
Recebi de presente da colega Marly e resolvi compartilhar. Para quem eh amante das tecnologias digitais e esta se aventurando na Educação a distância, recomendo a leitura de Tutoria e Interação em EAD, de João Mattar. O autor ja é bem conhecido no meio, o livro, da editora Cengage, traz uma leitura atraente, gostosa sobre as tecnologias digitais aplicavéis a educação, seja presencial ou a distância.
No início, o autor tece alguns comentários sobre uma polêmica: o tutor é professor? Vale a pena conferir.

Em seguida, o capítulo 1 apresenta o fordismo ao conectivismo: modelos de EAD, tecendo comentarios ao contrutivismo e conectivismo, duas correntes pedagógicas predominantes na area.
O capítulo 2, Interação e Interatividade, o autor aborda os diversos tipos de interação, no comptuador, em EAD, em sala de aula.
Em seguida, no capítulo 3, o autor tece comentários sobre o exercício da docência em EAD, falando de autoria, design educacional e produção de material didático.
O capítulo 4 é dedicado aos ambientes virtuais de aprendizagem, aqui, para o deleite dos leitores, o autor descreve inúmeras ferramentas disponiveis em Wed 2.0 passiveis de serem utilizadas na Educação, seja presencial ou a distância (mundos virtuais, games, redes sociais, moodle).
O capítulo 5 apresenta as atividades síncronas e assincronas, e por fim, o ultimo capítulo é dedicado ao delicado papel de avaliar no meio digital. Enfim, leitura imperdivel. Um excelente presente de Natal. Boa Leitura!

Read Full Post »

Ola amigos, gostaria de compartilhar com vocês, mais uma vitória, recentemente consegui, após longos dois anos e meio, oncluir o Curso de Midias em Educação (avançado). É um curso excelente, totalmente a distancia. A integração das midias na escola é uma necessidade, visto que o radio, a televisão, o material impresso e agora computador multimidia ja faz parte do nosso cotidiano e a escola não pode ficar fora desse processo. Para entender mais um pouco sobre o assunto, a SEED – Secretaria de Educação a distancia, lançou um livro (coletânea), com o melhor da Serie Salto para o Futuro, programa veiculado na TV Escola, sobre a Integração das tecnologias digitais na educação. Vejam a resenha!

INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO

Essa publicação, oferecida aos educadores brasileiros, dá relevo ao tema das tecnologias da informação e da comunicação (TICs), a partir de uma seleção de textos publicados e séries produzidas pelo Salto para o Futuro, nos últimos anos.

A intenção da TV Escola, canal do Ministério da Educação, é incentivar os educadores a inserirem as TICs na educação, de forma crítica, criativa e cidadã. A coletânea está dividida da seguinte forma:

1) Tecnologia, Currículo e Projetos;
2) Tecnologias na Escola;
3) Tecnologias Audiovisuais: TV e Vídeo na Escola; e
4) Tecnologia na Educação de Professores a Distância.

O livro está disponível em versão digital, dividida nos seguintes arquivos:

a. Iniciais
b. Apresentação
c. Tecnologia, Currículo e Projetos
d. Tecnologias na Escola
e. Tecnologias Audiovisuais: TV e Vídeo na Escola
f. Tecnologia na Educação de Professores a Distância

(*) Acesse a versão integral em texto em PDF no link: http://www.tvbrasil.org.br/saltoparaofuturo/imagens/livros/integracao-das-tecnologias-na-educacao.zip

Eu ja fiz o meu download e você o que está esperando?

Read Full Post »

Eis um artigo pessoal publicado na Revista Espírito Livre n.10 (janeiro/fevereiro 2010) que versa sobre a relação entre a educação fisica e a tecnologia livre…É longo, mais vale a pena ler, pois tem dica de softwares livres que podem ser aplicados a prática desportiva e a qualidade de vida. Boa Leitura!

Feliz Ano novo! Mais um ano começa cheio de expectativas e planos. Já fez sua listinha? Deixa eu adivinhar? Deixar o sedentarismo de lado e se dedicar á alguma prática esportiva? Bom, essa é uma das promessas clássicas de todo brasileiro. E não é difícil perceber isso, principalmente no verão.

Na estação do calor aumenta o número de praticamente de atividades físicas ao ar livre. Praças, praias, parques estão sempre lotadas de alguém fazendo desde sua simples caminhada até aqueles adeptos de um “racha” (como dissemos no Ceará), o famoso futebol entre amigos no fim de semana.

Bom, que o Brasil é o país do futebol ninguém discute! E de fato, agora nos tornamos praticamente o país do Esporte. Primeiro foi o Pan-Americano em 2007. Depois o Mundial de natação em 2008. Daqui há poucos anos, o olhos do planeta se voltará para a nação verde-amarela. Não é para menos. Somos a sede da Copa do Mundo de Futebol em 2014. E em 2016, as Olimpíadas!. Enfim, o Brasil terá visibilidade internacional e principalmente a oportunidade de se tornar (ou não!) uma potência mundial no esporte, se houver investimentos em nossos atletas.

O certo é que de uma forma ou outra, o brasileiro é fanático por esportes. Domingo, dia de folga, metade da programação televisiva é dedicada ao esporte! É comum encontrarmos pessoas praticando alguma modalidade esportiva mesmo de forma amadora. Toda escola brasileira é obrigada a possuir uma quadra. Parques, praças e academias fervilham no verão. E os educadores físicos, são, na atualidade, os profissionais mais requisitados, em escolas, academias, clubes, hospitais, clínicas de reabilitação, e outros espaços que visam a qualidade de vida. Esporte e saúde andam de mãos dadas.

E o computador? É vilão ou aliado? Para muitos desavisados, o computador é o vilão, o principal responsável pelos elevados índices de obesidade e sedentarismo entre os mais jovens. Todavia, não podemos deixar de lembrar que o computador enquanto máquina é uma ferramenta, e portanto, seu uso depende de um fim, de um objetivo. Se o jovem não é incentivado a praticar esportes, e fica o dia inteiro sozinho, sem nenhuma atividade desafiante, seu único refúgio com certeza será a Internet. Agora, se o mesmo prefere trocar o convívio dos amigos e familiares a passar horas na frente de um computador, consumindo Coca-Cola e adorando o Santo Big Mac, é um caso a ser levado a especialistas.

Por outro lado, a tecnologia pode ser um aliada do educador físico. Sabemos que a informática tem diversos fins. Para o educador físico, essa ferramenta pode transformar-se numa grande aliada no que diz respeito a agregar valores e conhecimentos, através da interação entre o homem e o computador. Aliás, o uso da tecnologia em competições é antiga. Em corridas de cavalos, o photo finish já era utilizado em meados do século XX. Na atualidade, grande parte dos esportes, mesmo os tradicionais como o tênis e a natação já se renderam aos encantos da tecnologia.

Em caso de dúvida, nos jogos da liga americana de basquete, a famosa NBA, o juiz é obrigado a rever o lance dúbio por meio de telões. No automobilismo, da mesma forma, a cronometragem manual há anos foi substituída pela computadorizada. Nas partidas oficiais, de tênis, já existem softwares (os chamados tira-teimas), que auxiliam os árbitros em lances duvidosos. O julgamento computadorizado é utilizado com eficiência em partida de futebol americano. Alias, não entendo porque a FIFA ainda não aceita o uso da tecnologia nas partidas oficiais de futebol (aquele do nosso Rei Péle). Quem não lembra da “mano de Dio” (Mão de Deus), a canhota milagrosa de Maradona na Copa de 1986, que consagrou a Argentina? E agora a história se repete com Thierry Henry e a classificação constrangedora da França para a Copa de 2010.

Bom, enquanto no esporte o objetivo é competir, na escola a educação física tem um viés diferente. A prática esportiva na escola contemporânea não pode ser vista como um berço de campeões, pelo contrário, a educação física escolar visa desenvolver nas crianças uma melhor consciência corporal, por meio de jogos, brincadeiras, músicas, levando o prazer através da atividade física, incluindo e não mais excluindo aqueles que possuem menor aptidão física.

Para quem não sabe o ano de 2009 foi escolhido pelo Conselho Nacional de Educação Fisica, como o ano da Educação Física Escolar. Na escola, a educação física pode ser trabalhada no Laboratório de Informática de diversas formas. O professor pode aproveitar para apresentar esportes menos conhecidos como a canoagem, o golfe (agora é olímpico apartir de 2016!) e mesmo os esportes de inverno, por meio de vídeos ilustrativos. Por meio da internet, podemos pesquisar vultos do passado que se consagraram no esporte, os cuidados que devemos ter na saúde. Da mesma forma, a sala de aula é o local mais propício para se debater valores, como a ética no esporte. Um exemplo é o caso de Gabrielle Andersen, que em 1984, ensinou ao mundo que o mais importante não era a vitória.

Outro aspecto interessante do uso da tecnologia no esporte é a possibilidade do expectador virtual. Por da tecnologia de informação, os fãs de esporte podem participar ou mesmo interagir com o atleta em tempo real. Tecnicamente, é possível acompanhar uma corrida de atletismo ou ciclismo em vários ângulos e até mesmo participar de um evento virtual, uma gincana, ou mesmo um game relacionado ao esporte, como a capoeira por exemplo, uma luta nacional.

Para os treinadores, a tecnologia propicia um horizonte de possibilidades. Por meio de softwares específicos é possível acompanhar o rendimento de um atleta, seus avanços, suas dificuldades, coletar dados, criar gráficos, comparar e criar novas estratégias de ação. Contudo, uma vez que tanto os equipamentos quanto os softwares têm um custo substancial, o espectro da exclusão está mais uma vez presente.

Pesquisando softwares para educação física, percebeu-se a predominância de softwares proprietários, sendo que a maioria destinados para a área de fitness. Mais o software livre também possui sua contribuição para a ciência do desporto.

Neste artigo, destacarei alguns softwares livres que podem ser utilizados por treinadores e educadores físicos. A maioria é direcionada para o profissional de fitness, mas não impede que pessoas normais, como eu e você, que não são atletas profissionais, os utilizem em seu cotidiano.

Todavia, ressalta-se que, antes de começar uma atividade física, lembre-se inicialmente de procurar um médico para avaliar sua capacidade física e principalmente seu estilo de vida. O exercício fisico deve ser um momento de lazer e nunca uma tortura!

Primeiramente, gostaria de apresentar o PyTrainer (figura1). Atualmente este software está na versão 1.7.0.1 (junho/2009). É um software livre desenvolvido sob licença GPL, para registro de treinamentos em diversos desportos. Foi projetado inicialmente para ciclistas, mas pode ser utilizado para qualquer outro tipo de desporto que envolva resistência (velocidade) como atletismo, natação, esqui, dentre outros. Uma de suas principais vantagens é a possibilidade de utilização do Google Maps em provas de longa distância e também a criação de gráficos e estatísticas detalhadas com os dados obtidos por GPS. Desenvolvido em linguagem Pyton, possui apenas versão para Linux (tar.gz), utilizando as bibliotecas do Gnome sendo que ainda não foi traduzido para português (PT-BR). Maiores informações na pagina oficial: http://pytrainer.e-oss.net/index.phphttp://pytrainer.e-oss.net/index. .

Agora, se você gosta de pedalar livremente em grandes altitudes, uma alternativa opensource é Cyclograph (figura 2). A versão 1.2 foi atualizada recentemente, em novembro/2009, seu objetivo é registrar treinamentos para ciclistas. Seu diferencial em comparação aos demais é a possibilidade de criação de gráficos comparando distâncias (em kilometros e milhas) e altura (altitude), além da possibilidade de criação de páginas na Web. Apresenta uma interface amigável, suporta as bibliotecas GTK+, possui versão para Linux, Windows e MacOX, estando disponível em italiano e inglês. Maiores informações: http://sourceforge.net/projects/cyclograph/.

Outro software que tem uma função similar, que pode ser utilizado por profissionais de educação física e treinadores em geral é SportsTracker. (figura 3) De caráter generalista, também é uma aplicação livre para registrar as atividades de desporto. Atualmente está na versão 3.5.0, possui versão para Windows, Linux e Mac. Neste SL, o educador pode criar categorias para diversos tipos de desportos, como ciclismo, corrida, natação ou tênis. A principal vantagem é auxiliar na criação de rotinas, por meio de diagramas e estatísticas para determinados intervalos de tempo ou tipos de desporto e ainda calcular as calorias perdidas Ressalta-se que já existe uma versão deste software para Desktops e celulares.

Agora, se é adepto da corrida e não pretende ter o físico de atleta queniano apenas gostaria de calcular sua performance, pode acessar este software por meio de seu celular. O mesmo acessa as informações via GPS, no qual calcula a velocidade e a distância percorrida, o tempo gasto, o ritmo médio dentre outros. É importante comentar que o cálculo da velocidade em movimento não é real, visto que as leituras do GPS, também não são em tempo real, todavia a distância total percorrida é um dado confiável. Segundo o site oficial, é possível salvar o caminho percorrido em formato de mapa digital e enviar para o Google Maps. Quem se habilita a testar? Maiores informações: http://www.nokia.com/betalabs/sportstracker

Por fim, não poderia deixar de falar de software livre nacional. O professor de educação física além de promotor da saúde na escola, também contribui para a prevenção de doenças, principalmente relacionadas a postura. Doenças como escoliose, cifose, lordose são comuns na infância, se não tratadas a tempo, pode trazer conseqüências nefastas na vida adulta. O SAPO (figura 4)é um Software de Avaliação Postural desenvolvido pela Universidade de São Paulo (http://sapo.incubadora.fapesp.br/portal), que tem como objetivo ajudar “o profissional de saúde na mensuração da posição, comprimento, ângulo e alinhamento, entre outras propriedades, dos segmentos corporais de um indivíduo.”

Segundo o site oficial, é um programa de computador que a partir de fotografias digitalizadas do indivíduo permite a mensuração da avaliação postural, não pretendendo substituir exames, como por exemplo, raios-X ou análise dinâmica da marcha. Através dele  possível digitalizar a foto da pessoa que o computador calcula o IMC e faz uma avaliação postural. Não é fantástico?

Uma das vantagens do software SAPO é que além de ser um genuinamente nacional, e portanto estar em língua portuguesa (PT-BR), é livre, roda utilizando JAVA (JRE6), portanto pode ser instalado tanto em Windows quanto em Linux. Pode ser utilizado tanto por educadores físicos, fisioterapeutas, médicos e outros profissionais preocupados com a saúde postural. A última versão saiu em 2007. Maiores informações: http://sapo.incubadora.fapesp.br/portal/projeto/FrontPage

Como pode-se perceber, o software livre cresce a cada dia e possui aplicações em todas as áreas do conhecimento, inclusive a ciência do desporto, o que demonstra a superioridade do SL em muitos dos casos. Por fim, a educação física e a tecnologia livre podem sim, ser aliadas na construção de uma sociedade mais saudável, mais ética e principalmente mais livre.

Como referenciar: ROCHA, SSD.  A Tecnologia Livre como aliada ao Educador Físico. Revista Espirito Livre. Ano 1. Janeiro/2010. Disponivel em <http://www.revista.espiritolivre.org&gt; Acesso em DD/MM/AAAA.

Read Full Post »

olá, amigos ando meio desaparecida… Colocando a vida em dia.  As férias vão chegando, que tal se atualizar um pouco? Quem trabalha ou deseja atuar na Educação a Distância não pode deixar de ler o livro sobre o Moodle: Estratégias Pedagógicas e estudo de caso.

Para quem não conhece o Moodle, é uma plataforma open-source (livre) direcionado para gerenciamento de cursos, podendo ser usado em escolas e universidades, em cursos semi-presenciais, ou totalmente a Distancia. Existem diversas outras plataformas para este fim, como Eproinfo (MEC), Teleduc (UNICAMP), Solar (UFC), Amadeus  dentre outros, mas o Moodle se destaca por apresentar diversas funcionalidades e principalmente pela facilidade de instalação.  Quer saber mais sobre o moodle? Veja o video produzido pelo governo de São Paulo, abaixo:

ALVES, Lynn; BARROS, Daniela; OKADA, Alexandra (Orgs.) Moodle: estratégias Pedagógicas e Estudo de Caso. Salvador: EDUNEB, 2009, 394p.

Maiores informações, onde comprar e download gratuito do livro no blog do Livro: http://livromoodle.blogspot.com/

Read Full Post »

olá amigos, pesquisando na net encontrei este livro, que pode ser chamado de E-book, pois é possivel fazer o download de toda a obra.  A autora disponibilizou a obra na internet como forma de democratizar o conhecimento. Comecei a ler e gostei e vou comprar com certeza. Se todos fizessem assim, talvez mudasse a realidade da leitura no Brasil, pois muitos livros são belos na capa e horriveis em conteudo. Ai vai a dica:

fonte: http://www.lynn.pro.br/educatec.htm

ALVES, L. R. G., NOVOA, C. C. Educação e tecnologia: trilhando caminhos. Salvador : Editora da UNEB, 2003, v.1. p.263.

Download todos os arquivos compactados

Download de cada texto em PDF

Apresentação
Trilha 1 – Educação a Distância
Educação a Distância e Comunicação Interativa
Andréa Lago, Cristiane Nova e Lynn Alves
Os Meios de Comunicação: um Problema para a EAD
Alessandra de Assis Picanço
Educação a Distância: Repensando o Fazer Pedagógico
Vânia Rita Valente
Educação a Distância: Desafios Pedagógicos
Cláudia Magnavita
Tecnologias para EAD via Internet
Mário Sérgio da Silva Brito
Interfaces Gráficas e Educação a Distância
Antonio Luis Lordelo
Trilha 2 – Ambientes e Comunidades Colaborativos de Aprendizagem
Do Discurso à Prática: uma Experiência de Comunidade de Aprendizagem
Lynn Alves
Ambientes Virtuais de Aprendizagem:Problematizando Práticas Curriculares
Edméa Oliveira dos Santos
Mapas Virtuais: Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Alexandra Okada
Trilha 3 – Educação e DispositivosTecnológicos
Educação e NTIC: do Pensamento Dialético ao Pensamento Virtual
Arnaud Soares de Lima Junior
Imagem e Educação: Rastreando Possibilidades
Cristiane Nova
Que Tempo para a Educação? Uma Leitura Psicanalítica
Lídia Maria de Menezes Pinho
A Sala de Aula: Adolescentes e Mídias Digitais
Andréa Lago
Ação Docente e o Livro Didático nos Ambientes Digitais
Vani Moreira Kenski
A Internet como Espaço de Construção do Conhecimento
Simone de Lucena
A Hipertextualidade como Ambiente de Construção de Novas Identidades Docentes
Andrea Cecília Ramal

Gostou? Quer outra dica dessas? Acesse o blog software livre na educação by Sinara Duarte .

Read Full Post »