Feeds:
Posts
Comentários


Olá amigos, ando sem tempo para blogar… Mais para falar o SBIE, não poderia deixar de mencionar este grande evento da área de Informática Educativa. O SBIE é o local onde se reunem estudiosos, professores, estudantes, pesquisadores em fóruns, simpósios, palestras, cursos enfim é o local de troca de experiências e aprendizagem compartilhada. Vai perder?

Este ano tem novidade, o primeiro encontro de Software Livre na Educação, que ocorrerá concomitantemente ao evento principal, sob a coordenação do Prof. Moises Batista. O I ESLE (Encontro de Software Livre na Educação), evento que irá ocorrer dentro do XXI SBIE (Simpósio Brasileiro de Infomática na Educação) que acontecerá de 23 a 26/11/2010 em João Pessoa-PB.

Os interessados em apresentar soluções ou experiências em software livre aplicada a educação poderão submetir suas propostas até o dia 11/10/2010, através do site http://www.ccae.ufpb.br/sbie2010, na seção “submissões”. Lá você irá encontrar o link para https://submissoes.sbc.org.br/sbie2010, onde você poderá se cadastrar no software JEMS e em seguida escolher a opção do workshop específico para o I ESLE e, finalmente, submeter seu trabalho para avaliação pelo Comitê de Programa.
Maiores informações, no http://www.ccae.ufpb.br/sbie2010, na seção “workshops”, opção “I Encontro de Software Livre na Educação”.

Então, bora viajar?

Ainda nao tinha percebido que o VLC (o programa que abre videos no linux educacional) estava desconfigurado, a amiga Silvana Holanda, me alertou que o VLC abre mais não aparecia o video. Entao pesquisando na net encontrei a dica no blog dos técnicos de Roraima, que legal! Uma ponte aerea Ceará-Roraima, via internet!  Assim, mesmo baixando o arquivos de video do you tube e de outros sites, é preciso fazer isso em todas as maquinas para que o VLC (player que roda videos no linux) funcione corretamente. Veja dica dos meninos de Roraima

1º – Abra o Reprodutor multimídia – (VLC media player);
2º – Clique no MENU – Configurações e depois em PREFERENCES;
3º – Abrirá um janela que do lado esquerdo consta uma relação de configurações, procure o item VÍDEO e de um clique na seta que está apontando para a direita, e logo em seguida surgirá uma relação, FILTROS, LEGENDAS E MÓDULOS DE SAÍDA;
4º – Lá no canto inferior direito da janela dá um clique em OPÇÕES AVANÇADAS;
5º – Na relação que surgiu do lado esquerdo da janela, FILTROS, LEGENDAS e MÓDULOS DE SAíDA, dê somente um clique em cima das palavras MÓDULOS DE SAíDA,
6º – Agora do lado direito, da janela apareçeu Módulo de saída de vídeo, um item mais ao lado escrito PADRÃO com uma seta indicando para baixo, dê um clique na seta e escolha a opção SAÍDA DE VÍDEO X11.

Prontinho, agora pode visualizar normalmente todos os DVDs da TVESCOLA (e outros videos, inclusive do you tube), que está no Linux Educacional 3.0.

Fonte: Roberto Augusto – Téc. de Suporte – NTE/RORAIMA.

http://tecnico.univirr.com/2009/11/habilitando-o-vlc-media-player-no-linux.html

Ate a proxima dica!

Olá amigos, tudo bem? Espero que sim. Uma das vantagens do curso de Midias em Educação, que muitos colegas estão fazendo é abrir reeducar nossos olhares. Eu não era muito amiga da televisão, achava ela até tendencionista, manipuladora (puro preconceito meu!) mas me despi dos medos, anseios e (pre)conceitos para estudar este equipamento, e voilà, descubri um horizonte de oportunidades. Um deles é a Revista TV Escola. Algumas escolas recebem a versão impressa, eu particularmente ja conhecia, mas foi reformulada.

O numero de 2010 traz uma reportagem sobre a tecnologia na escola, sobre o Portal do Professor (vamos usar mais né?) e outros assuntos importantes, computadores na escola, matematica enfim não é para o professor do LIE, é para todos NÒS que fazemos a educação deste Brasil.

A Revista da TV Escola está de volta inteiramente reformulada. Nesta primeira edição, o destaque é a relação entre TV e educação. A reportagem de capa faz um apanhado histórico da mídia televisiva, contextualizando- a no Brasil e no mundo, e mostra a sua face de aliada ao ofício de educar.De carona nos aparatos tecnológicos, apresentamos em detalhes um espaço na internet que espera pela sua conexão: o Portal do Professor. E como o professor é prioridade absoluta nesta publicação, criamos uma seção na qual você é o repórter e outra na qual, por suas ações, seu perfil merece distinção.

Acesse a revista completa clicando aqui.

Até outra dica de leitura!

Hoje tive o prazer de participar de uma oficina, liderada pela professora Patricia (CRP) que pacientemente, junto com as colegas Zoralia, Luciana e Cecília organizaram acerca das funcionalidades do Linux Educacional. Foi muito bom, ver os professores aumentando sua autonomia na utilização do software livre e principalmente perdendo o medo do Linux educacional. Nossos encontros são mensais, é um momento de formação continuada, de ampliar nossas experiências e dirimir possiveis dúvidas… Olha o que aprendi hoje

Compartilhando pastas no linux educacional

por Patricia, Zoralia, Luciana e Cecilia (professoras do LIE-SER 1 Fortaleza-CE)

Para criar uma pasta pública, vá inicialmente no servidor, seguindo os seguintes passos (no usuario PROFESSOR, que só vc sabe a senha, é lógico, ne)

CRIAR PASTA PÚBLICA E CONFIGURAR PROPRIEDADES

Criar pasta no Desktop, nomeá-la como PÚBLICA – botão direito – propriedades (GERAL – definir ícone) PERMISSÕES – dono – Grupo: Pode ver e modificar o conteúdo –  marcar a opção: Aplicar mudanças a todas as sub-pastas e seus conteúdos.

COMPARTILHAR: configurar compartilhamento de arquivo. Nova janela- senha de root – OK

MÓDULO DE CONTROLE DO KDE – ativar Modo de Compartilhamento Simples – botão ADICIONAR

Abre janela: Compartilhar Pasta – Módulo de Controle

Clicar na pasta da direita pra localizar a a pasta a ser compartilhada – ok

Ativar: Compartilhar como Samba – ativar escrita – Ok – Ok – OK

Ja nos outros computadores, principalmente se for Multiterminal, vc não precisa criar pasta, mas basta criar um link, para depois copiar para area de trabalho.

    • CRIAR LINK COM O SERVIDOR (NECESSÁRIO IP DO SERVIDOR)
      • Abrir gerenciamento de arquivos – Na barra de endereços digitar: \\ IP do servidor OU smb:// IP do servidor – ENTER
      • Ao localizar a pasta compartilhada – clicar com botão direito  – arrastar paro o Desktop – criar link.

OBS. Onde localizar o IP: Na barra de tarefas – lado inferior direito ou Iniciar – Configurações do Sistema – Categoria: Redes e conectividades (duplo clique em Ferramentas de Sistema)

Ate a proxima oficina!

Uma boa notícia para quem pretende fazer um curso técnico gratuito é o e-Tec Brasil, Programa Escola Técnica Aberta do Brasil do Ministério da Educação.

No site do programa estão as principais informações que inicialmente orientam os estados, prefeituras e escolas interessadas em participar do programa.

Pelas informações disponíveis no site dá para entender que o ensino será a distância nos mesmos moldes das atuais faculdades a distância, ou seja, todo o conteúdo é disponibilizado via satélite ou pela internet e a escola deverá manter uma estrutura local de professores e tutores para uma assistência presencial.

Cada escola então funcionará como um pólo regional do curso. Uma publicação do diário oficial mostra as cidades que serão atendidas, ou seja, que terão pólos presenciais. Para ver se a sua cidade está na lista CONSULTE AQUI.

A idéia, em si, não é ruim, mas uma coisa que não está claro é quais os cursos serão ofertados e este é um ponto extremamente importante. Há um tópico dizendo que os cursos serão nas áreas de Informática, Enfermagem, Metalurgia, Gestão do Meio Ambiente, Agropecuária e Turismo, mas isto não é muito específico.

Instituições de ensino que oferecem cursos técnicos como o Senac, Senai e outras, normalmente levam em consideração as necessidades de cada região para a oferta de cursos, desta forma, um curso que é ofertado em São Paulo, pode não estar disponível em Ribeirão Preto, por exemplo.

Um modelo similar deste programa é o UAB – Universidade Aberta do Brasil de autoria também do MEC, com diferencial que este é voltado para o ensino superior.

Vamos esperar e ver os primeiros resultados, mas para um país carente por educação, iniciativas como esta serão sempre bem-vindas.

Todas as informações sobre Cursos técnicos gratuitos a distância do e-Tec Brasil, acesse o site: e-Tec Brasil

Sabe amigos, estava com saudades de blogar… Então, vamos ter uma overdose nestes dias..rsrsrs

Um dos projetos que desenvolvi na escola foi o Minha Escola, Minha vida, uma iniciativa da prof. Liduina Vidal, que foi publicado recentemente na Revista Tecnologia Educacional.

Promovendo a Inclusão Sócio-Digital na Escola Pública: o Projeto Minha Escola, Minha Vida e Suas Implicações no Cotidiano Discente.
Sinara Socorro Duarte Rocha
RESUMO
As tecnologias de informação e comunicação (TICs) têm vindo progressivamente ocupar um lugar cada vez maior em vários setores da sociedade. O tema da inclusão digital tem sido recorrente nos debates sobre as novas tecnologias da cybercultura. No Brasil, estatísticas oficiais apontam que apenas 10% da população está plenamente conectada, aumentando ainda mais a desigualdade social. O objetivo deste relato de experiência foi retratar as implicações sócio-educativas de um projeto de inclusão sócio-digital em jovens carentes da periferia de Fortaleza. A metodologia envolveu a pesquisa ação. A experiência foi desenvolvida no Laboratório de Informática Eduucativa – LIE no período de dezembro de 2008 a fevereiro de 2009, atendendo cerca de 40 alunos por meio de oficinas que culminaram em uma produção multimídia coletiva. Os resultados preliminares apontam que os alunos que participaram das oficinas e do projeto apresentaram-se mais disciplinados,concentrados e comunicativos, mostrando suas habilidades e potencialidades, ao mesmo tempo se incluindo como cidadãos da sociedade digital. Conclui-se que ações como estas contribuem para a inclusão sócio-digital, elevando a auto-estima, promovendo à cidadania e provocando verdadeiras mudanças para a melhoria da qualidade de vida dos envolvidos.
Clique aqui e leia na integra

A noticia é velha (abril/2010), mas vale a pena!

“O Livro Ubuntu – Guia do Iniciante está disponível para download gratuíto em sua primeira edição e conta com oito capítulos, que tratam desde conceitos básicos para o uso do sistema, como por exemplo, como criar pastas (ideal para quem nunca usou um computador) e como instalar pacotes de codecs multimídia para reprodução de videos, músicas e DVDs, até conceitos básicos de virtualização de Desktops.”

De fato, é louvável a atitude do autor Carlos “Kadu” Eduardo, com o apoio da revista Espírito Livre, do prof. João Fernando Costa Júnior, além de dicas imperdíveis de André Gondim, responsável pelo time de tradução do Ubuntu no Brasil e do apoio do prof. Cesar de Souza. O grande diferencial é a sua sua linguagem acessível a nós pobres mortais. Enfim, é um livro de cabeceira para quem gosta ou precisa trabalhar com o linux em sala de aula.

Apoiaram esta iniciativa também o blog Ubuntu Dicas (www.ubuntudicas.com.br), CAVVES (cavves.wordpress.com) e Meu Pinguim (www.meupinguim.com).

O download do livro pode ser feito ubuntu_guia_do_iniciante

Fico pensando quando vou ter coragem e força de vontade para escrever o meu, quer dizer, o nosso exclusivamente sobre software livre na educação.
Quem sabe, filhos e arvores, ja plantei…rsrsr Falta apenas o livro.