Feeds:
Posts
Comentários

Depois de umas férias prolongadas (e merecidas), o blog Software Livre na educação está no ar novamente. Vagueando na net encontrei esse material muito bem produzido sobre Informática Educativa, no qual reproduzo aqui. Pena que não tem o autor, para dar o devido crédito. Fala de forma bem clara e suscinta a principal diferença entre informática educativa e informática profissionalizante. Quem quiser saber mais tem um texto meu publicado na revista espaço academico: O Uso do computador na Educação: a Informática Educativa, aproveitem e bons estudos.

Anúncios

Vagueando na Internet, encontrei o Grelt, software livre para uso na estatística. Eu particularmente sou da área de Humanas, o que me impede de fazer análise mais crítica deste software. Então peguei as informações da Wikipédia, mesmo. Bom, ele eh um substitutivo do proprietário EViews. Para os estatísticos de plantão! 🙂

Gretl (acrônimo de GNU Regression, Econometrics and Time-series Library) é um software livre que compila e interpreta dados econométricos. Escrito em C e usa Gnuplot para gerar gráficos. Algumas de suas principais características estão listadas abaixo:

  • Possui uma interface fácil e intuitiva, em vários idiomas, entre eles alemão, espanhol, francês, inglês, italiano, polonês, português (europeu e brasileiro), turco, etc.
  • Incorpora uma grande variedade de estimadores: mínimos quadrados, máxima verossimilhança, GMM; para equações simples e sistemas de equações, com dados cross-section, séries temporais e dados em painel.
  • Métodos de series temporais: ARIMA, GARCH, VAR e VECM, testes de raiz unitária e cointegração, etc.
  • Modelos não-lineares: logit, probit, tobit, mínimos quadrados não-lineares, etc.
  • Pode ser utilizado em conjunto com os programas X-12-ARIMA, TRAMO/SEATS, R, Octave (programa compatível com o Matlab) e Ox.
  • Inclui a possibilidade de produzir arquivos LaTeX dos modelos estimados.
  • Pode ser usado com interface em linha de comando.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Gretl

P.S: A econometria é muito usado nas Ciências Sociais e na Economia. Portanto, sociólogos e economistas, que usam nos forneçam um retorno sobre esta ferramenta.

Site oficial: http://gretl.sourceforge.net/

Para pessoas com alguma dificuldade de visão (seja deficientes visuais com baixa visão, idosos, professores,  etc), encontrei um software livre inclusivo, o Xlupa. A ideia central deste software é ampliar a tela do computador, facilitando e/ou ampliando a usabilidade. O software nacional faz parte da pesquisa do Núcleo de Inovações Tecnológicas da UNIOESTE sendo coordenado pelo Prof. Dr. Jorge Bidarra, desde 2004.

O objetivo geral do projeto é o desenvolvimento de um ampliador de tela (software livre) para pessoas com necessidades e recursos visuais especializados, tais como pessoas com baixa visão, idosos ou com outras necessidades mais específicas.

xLupa é um ampliador de tela inteligente, voltado, mas não de uso exclusivo, para pessoas com baixa visão. Resulta de um projeto de pesquisa no âmbito das Tecnologias Assistivas que, com financiamentos do CNPq, teve início em meados de 2004 (o desenvolvimento continua). Desse projeto participa um grupo de pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento, notadamente da Ciência da Computação, alunos de graduação e mestrado e colaboradores externos, todos pertencentes ao Grupo de Pesquisa de Inteligência Aplicada – GIA/UNIOESTE/CNPq. A ferramenta vem sendo testada por alunos e professores especializados na área da deficiência visual de diferentes escolas públicas do ensino fundamental e básico da rede paranaense, mais exatamente em dois municípios Cascavel e Medianeira.

O download é gratuito, está disponivel apenas para linux (Kurumin, Ubuntu e Fedora), não é o máximo? Tem manual em português, sendo super simples de utilizar. É a inclusão social por meio do software livre. Com a ferramenta, por meio de configurações individuais, os usuários adquirem independência em suas atividades diárias de leitura e acesso ao conhecimento, seja para fins escolares, de trabalho ou para qualquer outra finalidade.

Site oficial: http://projetos.unioeste.br/campi/xlupa/

Artigo explicativo publicado no SBIE (2009) sobre o Xlupa: http://www.br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/download/1165/1068

O software livre anda em expansão. Uma das novas aplicações é na pesquisa qualitativa, muito frequente e necessária na pós-graduação, quando se faz necessário para tabular entrevistas,  fazer fichamentos de artigos, livros, teses, enfim todo o material para a revisão de literatura. A primeira pareceu bem interessante! O projeto é de 2006, mas só agora, que conheci :(.

O programa é inglês, aceita textos no formato *pdf (desde que não estejam bloqueados) e *txt. Qualquer trabalho no formato doc (Word) precisa ser convertido para TXT. Tem versão para linux (.tar.gz) e windows (.exe).  A versão para linux é super leve, ocupa apenas 874 KB, enquanto que a versão para Windows é 2.66 MB. (Inacreditável!) E ainda tem gente que reclama do linux! É simples e fácil de instalar. (Se não souber, veja a seção como instalar programas no linux). A princípio, o software WEFT-QDA cria arvore de categoria (nome, ano) para ficar fácil de encontrar a posteriori.  Tem um manual de usabilidade, mas está em inglês.

Download no site oficial: http://www.pressure.to/qda/

Vagueando na net, encontrei um curso ministrado magistralmente pela professora Lana Bleicher, do curso de Odontologia da Universidade Federal da Bahia. Ela apresenta videos bem ilustrativos (video-aulas). Para quem é iniciante, é excelente! Não deixem de ver… Até mais

http://www.moodle.ufba.br/course/view.php?id=10699

Olá amigos, quem gosta como eu, de ficar por dentro do que rola na academia, não pode deixar de ler os anais do SBIE – Simposio Brasileiro de Informatica na Educação, organizado pela Sociedade Brasileira de Computação, considerado o maior evento da área de Informática Educativa.  O evento ocorre desde 1990, geralmente na primeira quinzena do mês de novembro em cidades diferentes. O SBIE 2009 ocorreu em Florianópolis.  Os Anais com artigos podem ser acessados online, no endereço: http://www.br-ie.org/pub/index.php/sbie

Eu ja tive o deleite de participar do evento quando foi em Fortaleza (2008) e realmente vale a pena conferir, conhecer os principais nomes e principalmente as pesquisas desenvolvidas na área. O mais legal, que o acesso aos anais é gratuito. Na opção edições anteriores, pode acessar os demais. O proximo, SBIE 2010, será pertinho de nós, no Nordeste mais precisamente na Paraiba (João Pessoa). Espero estar lá…

As submissões estão previstas para junho/agosto de 2010. Portanto, aguardem maiores noticias aqui e na pagina oficial do evento: http://www.ccae.ufpb.br/sbie2010/

Olha que noticia bacana! A inclusão social por meio da tecnologia. Não conhecia o projeto Livro falado. Que tal? O cadastro é gratuito e super simples, apenas nome, email e instituição de ensino. Andei dando uma olhada, tem livros do Ziraldo, Ruth Rocha, Ana Maria Machado, Pedro Bandeira, e outros autores contemporâneos além dos clássicos da Literatura Nacional. Muito legal mesmo. O formato é em MP3 e a licença é livre, apenas para o audio (sem o texto). O download eu fiz usando o plugin do firefox, o Helper, facílimo….  Vejam a notícia na integra:

O projeto Livro Falado lançou esta semana o site www.livrofalado.pro.br onde deficientes visuais podem ter acesso a mais de 350 livros gravados, de cerca de 280 autores brasileiros. “O objetivo também é atender pessoas com cegueira dos outros países de língua portuguesa: Portugal, Angola, Moçambique, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Guiné Bissau”, disse à Agência Brasil a criadora do projeto, a mestre em teatro da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Analu Palma.

Para isso, o projeto, que existe há dez anos, conta com patrocínio da BR Distribuidora e a parceria da Academia Brasileira de Letras (ABL). “Com a ABL, fiz uma parte desses livros que estão sendo colocados no ar”. A gravação da Coleção Voz da Academia contou com a adesão de artistas e locutores, como Lea Garcia e Iris Lettieri.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, no Brasil, a prevalência de cegueira na população é de 0,3% e de baixa visão, 1,7%. A pessoa com baixa visão é aquela que mesmo após tratamentos ou correção óptica apresenta diminuição considerável de sua função visual. O projeto Livro Falado pretende incluir os deficientes visuais em duas instâncias: na questão da literatura, de acesso ao livro; e no tocante à qualificação para o ator cego.

Analu Palma é autora do livro falado Uma História para Ler, Gravar e Ouvir, em que apresenta para as pessoas as habilidades e dificuldades de uma criança que não enxerga, além de ensinar como se grava livros para deficientes visuais. Com base nesses ensinamentos, ela começou a ministrar oficinas do livro falado. Já foram capacitados, até agora, mais de 400 ledores em todo o país. “É por meio dessas oficinas que a gente está com esse acervo construído.”

Os ledores voluntários são qualificados e aprendem como transformar um livro impresso em uma obra acessível em áudio para uma pessoa que não enxerga. “Outro procedimento é aprender a gravar em um programa de computador para que o livro já fique em CD”. A terceira fase da oficina se refere à voz do voluntário, ou seja, ensina como ter uma boa dicção, além de boa leitura. “A gente transforma o livro numa coisa atraente para aquele que está ouvindo o
material que a gente produz.”

Analu vem ainda pesquisando métodos para que o ator com deficiência visual possa se qualificar, produzindo também livros de teatro falado para ele. Ela o ensina ainda a tornar o corpo expressivo para as artes cênicas. “O objetivo é abrir a comunicação por meio de canais artísticos tanto do teatro quanto da literatura.”

Para acessar os livros gravados, as pessoas cegas devem acessar o site www.livrofalado.pro.br. Para obter a gravação de um livro específico, é preciso enviar e-mail para livrofalado@livrofalado.pro.br. A remessa é gratuita.

fonte: Correio Brasiliense

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/04/02/brasil,i=183496/PROJETO+LIVRO+FALADO+PARA+DEFICIENTES+VISUAIS+LANCA+SITE+NA+INTERNET.shtml

Olá, colegas professores, estão abertas as inscrições para o Mestrado Profissonal no Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Federal do Ceará. Ano passado era 500,00 reais a mensalidade (não se ainda é esse valor). Repassem para os colegas que são da area.

A Coordenação do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática (ENCIMA) da UFC abre inscrições para a seleção de sua terceira turma, de 24 de março a 8 de maio.

São ofertadas cinco vagas para cada um dos quatro eixos temáticos: Biologia, Física, Matemática e Química. As três linhas de pesquisa do programa para qualquer um dos eixos são: divulgação científica, métodos pedagógicos, tecnologias no ensino de Ciências e Matemática.

O curso é destinado a graduados em Física, Química, Matemática, Biologia e áreas afins, interessados em ensino e divulgação científica e na produção de material didático, procurando atingir especialmente os professores e outros profissionais ligados ao  ensino de Ciências e Matemática, nos níveis Fundamental e Médio.

A principal proposta do ENCIMA é estabelecer uma mudança de compreensão do significado de ensinar Ciências e Matemática, o de ensino e aprendizagem dinâmicos, objetivo e inovador, fundamentando-se em metodologias e tecnologias apropriadas à realidade das escolas e do cenário nacional.

O processo de seleção compreenderá a aplicação de uma prova escrita discursiva, de conhecimentos gerais no eixo temático escolhido pelo candidato, análise do curriculum vitae, análise do pré-projeto e entrevista.

Os pagamentos do curso devem ser feitos por pessoa jurídica. Na inscrição, os candidatos deverão apresentar carta de compromisso da escola ou da  empresa que será o responsável financeiro pelos pagamentos. Essa carta deve conter dados detalhados do aluno e da própria  empresa (Razão Social, CNPJ, endereço, telefone, CPF, RG) e assinatura do responsável financeiro.

As inscrições serão on-line, pelo site www.astef.ufc.br. Não será cobrada taxa de inscrição. Mais informações nos sites www.prppg.ufc.br, www.astef.ufc.br ou www.encima.ufc.br.

Confira aqui aditivo ao Edital n° 01 – 2010.

Fonte: Profª. Eloneid Felipe Nobre, Coordenadora do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática (ENCIMA) – (fone: 85 3366 9931)